Ir para conteúdo

Muitas dúvidas sobre <chkdsk>


Ir para a solução Solucionado por Baboo,

Mensagem Recomendada

Ao pesquisar sobre o chkdsk, notei que há várias possibilidades de comandos de verificações posteriores ao comando, tanto em NTFS quanto em FAT.  Em NTFS por exemplo além de [/f], [/x], [/r], e [/b], encontrei [/scan], [/scan /forceofflinefix][/scan /forceofflinefix], [/scan /perf], [/spotfix][/f /sdcleanup] e [/offlinescanandfix]. Isso acabou me gerando as seguintes dúvidas:

1) Por se tratar de um protocolo antigo de checagem de disco herdado do MS-DOS e hoje estarmos com o Windows bem mais avançado, ainda sim todos os parâmetros citados a cima são necessários ou alguns já se tornaram obsoletos? 

2) Se [/x] já inclui a função de [/f], assim como [/b] já inclui a função de [/r]; os parâmetros combinados [chkdsk /x /b] implica em uma verificação e correção mais eficiente como se eu estivesse ordenando [chkdsk /f /x /r /b]?

3) Levando em consideração a minha pergunta de nº2, se [chkdsk /] alguns parâmetros já fazem a função de outros,  implicam requerendo um anterior e também é possível combiná-los em uma só linha, qual seria os comandos que resumiriam uma checagem de disco/[chkdsk /]  completa?
 

Gostaria de expressar neste tópico, a minha profunda gratidão ao professor Aurélio Baboo, por sua boa vontade através do seu curso gratuito disponível, ter sido uma luz na minha antes escura e ignorante relação com informática, que antes era fomentada pelas desinformações dos ditos "especialistas" na internet. Baboo, Muito Obrigado!!!   

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Administrador
  • Solução

1. Boa pergunta! A partição NTFS permite correção nativa de alguns erros, tornando o chkdsk desnecessário na maioria das vezes. Independentemente disso, o fato do chkdsk ser "herdado" do MS-DOS não indica que ele tenha se tornado inútil ou desnecessário hoje em dia, pois a necessidade dele está diretamente ligada à maneira como os arquivos são catalogados e salvos pelo sistema operacional.

Basta um pente de memória RAM falho para o sistema operacional começar a salvar dados incorretos (corromper) a FAT (File Allocation Table) ou o próprio arquivo que está sendo salvo, exigindo o uso do chkdsk para resolver isso. Isso acontece com partições FAT, FAT32, exFAT e NTFS, mas não com o ReFS, sistema de arquivos focado em armazenamento que não utiliza FAT e por ele ter uma sistema de auto-correção completa, tornando o chkdsk desnecessário.

Conclusão: o chkdsk sempre será necessário enquanto o sistema de arquivos (FAT32, NTFS, etc) não permitir uma auto-correção COMPLETA como o ReFS faz..

2. Não, pois se uma funcionalidade inclui outra, executá-las individualmente é redundante (e desnecessário)

3. O chkdsk /r é a "versão mais completa", pois ela faz com que o volume fique offline (/x e /f) além de escanear toda partição, independentemente se os setores dela estão em uso ou não..

[]s
 
Aurélio “Baboo”
assinatura-baboo-forum-2022.png

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Quer postar a sua dúvida? Cadastre-se pois é rápido e fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...