Uma das coisas que mais chama atenção e provoca dúvidas em um roteador são as suas antenas. Como elas funcionam? Como utilizá-las para ter uma cobertura mais forte?

Rodrigo Paiva, gerente de Produto da D-Link, explica abaixo tudo sobre o seu funcionamento. “Quer estejam visíveis ou ocultas, todos os roteadores Wi-Fi possuem antenas para transmissão e recebimento de dados. Eles se comunicam com laptops, smartphones e demais dispositivos conectados via tecnologia sem fio, por meio de um canal de rádio”, explica.

Antenas no roteador: quanto mais melhor?

Se um roteador tiver uma antena de transmissão e uma antena de recepção, então ele possui o que chamamos de configuração SISO (entrada única / saída única) 1×1, o que significa que só poderá transmitir e receber dados por meio de um único canal de rádio.

Se ele tiver duas antenas de transmissão e duas de recepção, então ele possui configuração MIMO (múltiplas entradas / múltiplas saídas) 2×2. Três para transmitir e três para receber? MIMO 3×3.

Então, quais são os principais benefícios de se ter múltiplas antenas? Velocidade e confiabilidade.

Múltiplas antenas e a velocidade do Wi-Fi
Embora existam inúmeras dinâmicas que afetam a velocidade do Wi-Fi, um dos principais fatores é o número de antenas do roteador e, por consequência, o número de fluxos espaciais sobre os quais ele pode se comunicar.

Em vez de um roteador ter apenas um único fluxo de dados entre si para transmissão de informações (como acontece nos roteadores SISO 1×1), os roteadores 3×3 são capazes de enviar e receber dados por meio de três fluxos espaciais, triplicando as taxas de transmissão.

Como exemplo prático, roteadores 802.11n que possuem uma taxa de transferência de dados máxima de 150 Mbps e que seja 1×1. Ao forcecer a esse mesmo roteador recursos MIMO 3×3 sua velocidade teórica máxima será triplicada para 450 Mbps.

Antenas no roteador: quanto mais melhor?

Os roteadores sem fio AC vão um pouco mais além. Um modelo que possua uma taxa máxima de transferência de dados de 433 Mbps e seja 3×3 oferece uma velocidade máxima de 1,3 Gbps.

Para explicar ainda mais, veja o exemplo do roteador da D-Link DIR-890L, que é AC3200. Ele possui Wi-Fi de banda tripla, o que significa que opera com três bandas sem fio distintas: duas de 5 GHz e uma de 2.4 GHz (que possui uma taxa de transferência de dados máxima de 200 Mbps por fluxo espacial). Veja a seguir como fica a soma final:

Múltiplas antenas e a confiabilidade do Wi-Fi
Como as antenas de um roteador estão fisicamente localizadas em locais diferentes do dispositivo, cada uma delas recebe uma versão ligeiramente diferente dos sinais enviados pelos dispositivos conectados. Isso é chamado de diversidade espacial e ajuda a melhorar a confiabilidade do link. Como cada antena recebe um sinal ligeiramente diferente, o roteador combina as diferentes versões por meio de um algoritmo e cria uma versão final aprimorada.

Pense nisso da seguinte maneira: Como o Roteador Wi-Fi Série Ultra AC3200 possui três antenas receptoras, é como ter três testemunhas para um crime ao invés de apenas uma. Se você confia em apenas um relato do que aconteceu, e sua única testemunha deixa passar um detalhe importante, você pode se dar mal. Com três testemunhas, você pode combinar suas versões da história para obter uma compreensão mais completa e precisa do que realmente aconteceu.

Roteadores, dispositivos conectados e como preparar sua rede para os desafios do futuro
Uma coisa a se notar é que os dispositivos sem fio, assim como os roteadores sem fio, também possuem antenas para transmissão e recebimento de dados, e o número de fluxos espaciais utilizados será sempre limitado pelo dispositivo com o menor número de sinais suportados. Isso significa que se o seu roteador suporta 2×2 e o seu telefone suporta apenas 1×1, ele não será capaz de tirar o máximo proveito possível da configuração MIMO 2×2 do seu roteador.

Os roteadores Wi-Fi 2×2 representam a maioria dos roteadores existentes no mercado atualmente, o que é suficiente para a maioria dos dispositivos conectados (iPhones são 1×1, a maioria dos laptops são 2×2), mas com a chegada dos roteadores sem fio 11AC o mercado está mudando, e agora começaremos a ver a introdução de inúmeros dispositivos 3×3 novos no mercado.

  • CLEBER

    Foi exatamente o que eu fiz.
    Troquei meu TP LINK WR741N 150 Mbps.
    Comprei um TP LINK WR841ND 300 Mbps.
    Ótimo aparelho custo benefício.

  • JorgeM.S

    Muito bom o artigo, mas o que me interessava era, se há ganhos em trocar as antenas com umas com maior decibéis.

  • Ronaldo

    Concordo plenamente, boa interpretação o objetivo não é focar na robustez do produto e sim mostrar ao consumidor o custo beneficio que poderia trazer.O marketing viral é um problema sério na propaganda rende muito dinheiro por isso eles focam nisso.

  • ultimate_live

    Sei que não é o lugar certo, mas como o Ciro Mota disse. A aparência de drone é interessante. Mas o preço também é muito mais do que viável para o bolso comum do consumidor.

  • Acho que faltou citar sobre os ganhos em dbi de cada antena e está também dentro do contexto do artigo. No geral, quanto mais dbi, maior ganho e maior alcance do sinal.

    Gostei muito da aparência de drone deste roteador.

    • JorgeM.S

      Foi o que eu fiz. Comprei o roteador da TP-Link o Archer D2 que tem 3 antenas e é “AC”.
      As antenas dele são de 3dbi, como no meu PC tinha 4 antenas de 5dbi, eu removi do PC e coloquei no roteador.
      Mas o post não diz se há ganhos com isso, pensei que ia falar das potências das antenas e nada.