Aconteceu de novo: Um keylogger foi encontrado em mais de 460 modelos de laptops da HP. Desta vez ele foi instalado com o driver do touchpad.

Meses atrás a empresa foi acusada de instalar um keylogger junto com drivers de áudio e mais recentemente ela foi acusada de instalar spyware em seus produtos.

Keylogger é encontrado em centenas de laptops da HP

De acordo com o pesquisador de segurança conhecido como ZwClose, o keylogger foi encontrado no arquivo SynTP.sys, parte do driver do touchpad Synaptics, e pode ser usado por hackers para gravar tudo o que o usuário digita.

Embora ele venha desativado por padrão, hackers podem utilizar ferramentas com código aberto para burlar o UAC (Controle de Conta do usuário) e habilitá-lo com uma alteração no Registro do Windows.

As chaves que podem ser alteradas estão listadas abaixo:

– HKEY_LOCAL_MACHINE\Software\Synaptics\%ProductName%
– HKEY_LOCAL_MACHINE\Software\Synaptics\%ProductName%\Default

Keylogger é encontrado em centenas de laptops da HP

O pesquisador relatou sua descoberta à HP em novembro e a empresa reconheceu sua presença como sendo “restos de componentes de depuração” mantidos nos laptops “acidentalmente”.

A HP disponibilizou uma atualização de driver para os portáteis afetados que remove o keylogger. A lista com todos os modelos afetados e os links para download estão disponíveis aqui.

  • Cleber

    Preciso adquirir outra impressora multifuncional pois a minha deu pane. A Epson é mais que o dobro do preço porem é ótima. HP é boa custo benefício más com essa matéria fico com pé atrás está igual ao Lenovo. Notebook acho que os melhores são 1° Dell 2° VAIO 3° Positivo.

    • dimitrius bueno

      A Epson tem outro modelo de negócio, não existi a mesma intensidade no subsídio da venda da impressora para lucrar posteriormente com os consumíveis, vulgo cartuchos de tinta. A HP costuma cobrar um valor menor na impressora pois o restante virá com o lucro advindo do comércio de cartuchos que são caros para o nosso padrão. A Epson lançou no mercado o conceito de impressora com tanque de tinta de fábrica, nesse sistema o usuário paga um valor maior pela impressora mas em compensação a tinta é infinitamente mais barata, hoje é possível adquirir uma garrafa original da Epson por R$45,00 contendo 70ML de tinta para abastecer o tanque dessas máquinas, se você imaginar que um cartucho XL com apenas 10 ML ultrapassa facilmente a barreira dos 100 reais constatará matematicamente que o gasto a mais em um modelo com tanque de tinta de fábrica se paga com o tempo, esse tempo pode ser dramaticamente encurtado se o volume de impressões for alto, em contrapartida a impressora barata da HP é o que há de mais caro no mercado de impressão, essa é subsidiada pelo perverso conceito do preço embutido nos cartuchos de tinta, itens caríssimos constituindo no mundo inteiro um dos líquidos de maior valor agregado do planeta.

      • Há muitos anos eu não gosto da Epson por causa da absoluta desonestidade dela em relação ao uso do cartucho: https://www.baboo.com.br/hardware/impressoras-desperdicam-tinta/

        Há tempos eu prefiro impressoras HP por falta de opção..

        • dimitrius bueno

          Eu conheço essa matéria e questiono completamente as conclusões que foram feitas, em qualquer impressora jato de tinta temos um compartimento com uma esponja/almofada, a função desse compartimento é justamente armazenar a tinta utilizada na limpeza da cabeça de impressão, a matéria é falaciosa e cita coisas do tipo: “A tinta que é utilizada na limpeza da cabeça de impressão jamais retornará para o papel”. É evidente que ela não retornará, na limpeza da cabeça todos os jatos são acionados e a tinta que vai parar no compartimento que funciona como uma lixeira é uma mistura de todas as cores, se vc quer reaproveitar essa tinta existe como instalar um dispenser externo e a Epson sempre ofereceu essa opção em todo o seu portfólio. Esse artigo que vc citou tem erros graves, conceitos completamente contraditórios como o rendimento dos cartuchos. A estimativa do rendimento dos cartuchos de tinta é baseada na norma da International Organization for Standardization ISO/IEC 19752, a partir dela o consumidor saberá o quanto a impressora pode imprimir baseado em 5% de cobertura por página, se ele utilizar 10% cai pela metade e assim sucessivamente, isso independe do equipamento utilizar uma determinada porcentagem para a manutenção da máquina. Esse tipo de artigo abre uma margem enorme para discussões, você citou o termo “desonestidade”, o site Baboo costumeiramente veicula notícias sobre a presença de malwares em drivers e dispositivos vendidos pela HP, uma empresa que afirma que o seu “Secure Printing Services” tem recursos que ajudam a proteger os usuários de todo tipo de ameaça e faz disso uma jogada de marketing.

          Como forma de rebater o que eu disse pode-se afirmar o seguinte: “O estudo foi feito ou conduzido por uma renomada entidade”, coisa nenhuma! O relatório é falho e nele existe um abismo profundo para diversas discussões, a HP que você citou é uma das empresas mais cretinas que existem, no seguimento de impressoras deixou de abastecer o mercado interno com peças de reposição como cabeçotes, correias e outros, hoje se você precisa de uma cabeça de impressão para uma máquina da linha Pro x precisa importar, a Mundo Collor que é era uma empresa especializada em outsourcing de impressão propôs inclusive um abaixo assinado para que a lei fosse cumprida, se você vende um produto no Brasil precisa abastecer o mercado com peças de reposição.

          A HP e a Epson utilizam tecnologias diferentes de impressão, cabeçotes diferentes e com necessidades diferentes.

          • O artigo em si é apenas a “ponta do iceberg” e a questão nem é o número de impressões de páginas (definido pela norma ISO-IEC 19752 em si), mas a quantidade de tinta realmente desperdiçada em tarefas que não têm relação com a impressão da página em si.

            Em 2005 eu postei em https://www.baboo.com.br/hardware/denuncia-epson-obriga-troca-de-cartuchos-desnecessariamente/ o absurdo do Status Monitor da Epson considerar que um cartucho novo e original tem apenas 75% de tinta disponível depois de realizar a limpeza de cabeçote por 8 vezes(!!).

            Em 2007 o Ars Tecnica também concluiu que as impressoras deskjet são “ladras imundas e mentirosas” em https://arstechnica.com/gadgets/2007/06/study-inkjet-printers-are-filthy-lying-thieves/ ao analisar os resultados obtidos com impressoras Epson, Lexmark, Canon, HP, Kodak, e Brother.

            Em 2013 a CNBC publicou em https://www.cnbc.com/id/100857718 que impressoras podem gastar mais de 50% da tinta do cartucho em tarefas que não têm relação com a impressão em si (como limpeza de cabeçote)

            A situação é tão ridícula que existe até mesmo um sites e aplicativos pagos que “zeram” a contagem de páginas impressas, permitindo que o usuário aproveite ao máximo a tinta existente no cartucho: https://www.wic.support/, http://www.wasteinkpads.com/ e outros..

          • dimitrius bueno

            Eu não pretendo me alongar nesse assunto, todos esses artigos que você citou tem pontos frágeis na sua abordagem, eu não questiono sob nenhuma hipótese o desejo do usuário em aproveitar ao máximo a quantidade de tinta que existe no seu cartucho mas tecnicamente isso trás algumas implicações.

            A tinta tem um papel importante não só para a realização da impressão como para a manutenção da cabeça de impressão, os capilares da cabeça de impressão de uma Epson por onde a tinta circula tem espessura inferior a um fio de cabelo humano, existe na programação dessas máquinas rotinas de limpeza que independem da intervenção do usuário, isso é crucial para evitar que a tinta resseque na saída dos injetores e para eliminar impurezas que possam entupir alguns jatos. Quando o usuário aciona o procedimento de limpeza ou a programação do equipamento desencadeia o processo de rotina uma bomba faz com que a tinta seja sugada ou expelida com maior pressão pelos injetores do cabeçote, a pressão da tinta faz com que resquícios de tinta ressecada e impurezas sejam expelidos, se você instalar ou pedir para um técnico instalar um dispenser de tinta verá que a cada procedimento de limpeza uma determinada quantidade de tinta é enviada para o compartimento que citei na postagem anterior, isso ocorre justamente porque essa tinta foi utilizada na limpeza da cabeça de impressão, a maioria desses artigos não tem uma sustentação técnica razoável, eles assumem o viés do consumidor que fatalmente vai questionar o seguinte:”Porque a tinta utilizada na limpeza da cabeça não pode ser reaproveitada?”. Essa tinta é uma mistura de todas as cores, o procedimento de limpeza faz com a tinta seja expelida com pressão em todos os jatos, essa tinta também pode conter partículas contaminantes que até então eram as responsáveis por um quadro de entupimento que levou o usuário a acionar o processo de limpeza.

            Eu li no seu comentário a seguinte ponderação, abre aspas: “eu postei em https:…o absurdo do Status Monitor da Epson considerar que um cartucho novo e original tem apenas 75% de tinta disponível depois de realizar a limpeza de cabeçote por 8 vezes”

            Em uma condição normal de uso o usuário jamais terá a necessidade de acionar o mecanismo de limpeza manualmente por 8 vezes, eu me refiro aqui a vida útil total do cartucho, como eu já expliquei a limpeza depende da tinta, além de realizar a impressão a tinta é utilizada na limpeza da cabeça de impressão, esse teste é falho em si próprio na medida em que não corresponde há um padrão de rotina pautado na realidade, é como reclamar do consumo de combustível de um automóvel que é dado para um sujeito que mal sabe dirigir.

            A HP e a Canon adotam uma tecnologia popularmente conhecida como jato de tinta térmico, explicando grosseiramente a tinta é aquecida por meio de micro resistência e é então lançada no papel

          • Eu compreendo e agradeço a sua explicação técnica, mas o problema é relacionado à percepção do consumidor ao comprar um cartucho de tinta que ele não poderá utilizar por completo, seja pelo gasto excessivo na limpeza do cabeçote ou quando o sensor do cartucho decide que ele precisa ser trocado mesmo quando isso não é necessário.

            No meu caso, eu PRECISEI limpar o cabeçote 8x para a impressão ficar perfeita, e isso causou o fictício gasto de 25% do cartucho, algo que convenhamos é um absurdo – tanto pela necessidade de se fazer isso para obter uma simples impressão, quanto pelo gasto de tinta envolvido – e isso em uma impressora com pouco uso e cartuchos originais! Depois disso, Epson nunca mais..

            Utilizando o consumo de combustível como exemplo, é como se um carro exigisse 10 litros de combustível para limpar as velas de ignição! Não é à toa que todos sites que fizeram testes do uso de cartucho em impressoras jato de tinta chegaram à mesma conclusão: que isso é um absurdo.

            Felizmente os kits de tinta tipo BulkJet que inundaram o mercado há uns anos mostraram que era perfeitamente possível resolver isso de maneira barata e funcional – tanto que a própria Epson replicou isso em algumas impressoras..

            Eu, como engenheiro, compreendo perfeitamente que a tinta utilizada para o procedimento de limpeza jamais poderia ser reaproveitada, mas como consumidor eu sei que essa questão deveria ser resolvida de uma maneira mais comercial e transparente, e menos técnica..

        • Gabriel Pizutti Xavier

          Como uso bastante comprei Epson L220 impressora com Tanquinho imprime muito e sai muito barato, talvez até mais que a laser.
          Mas realmente a Epson tem contador de impressões até hoje e para sozinha te obrigando manutenção, como tenho conhecimentos ténicos reseto contador a cada 6 meses assim ela nunca para (Mas uma vergonha ter contador para dar problema).

          • Cleber

            Poxa contador de impressão é muita sacanagem e desonesto.
            Então na HP fico pensando se há Spyware no CD de instalação.

    • Cleber

      Eu tinha uma HP multifuncional já era minha 2° na verdade; O problema foi os roletes não puxando papel e tinta borrando impressão cartuchos novos.
      Não sei se tem haver usava A4 Chamex embalagem marrom aquele ecológico..dizem ser papel reciclado e foi esse o motivo do pane e que eu deveria adquirir A4 Chamex embalagem azul os papéis não seriam reciclados.
      Pois bem a HP com Malware ou Spyware embutido em seus respectivos produtos..fico imaginando o CD de instalação se também está contaminado? Então me indicaram a Epson más a mesma é quase 3x o preço da HP.
      É complicado comprar um produto hoje em dia.

  • RYZEN

    HP e Dell em queda livre!

    Que tal usarmos Surface ou um laptop da Acer?

  • dimitrius bueno

    O que eu gosto de acompanhar são as declarações quando existe a descoberta da introdução de códigos maliciosos em driver e dispositivos vendidos pela HP, sempre existe a conotação de acidental, de algo não proposital enfim…”Vai que cole!”. Como tivemos reincidência temos pesquisadores com os holofotes direcionados para a marca, não é impossível que novos fatos venham a ser descobertos.

  • Vitalino

    HP agora esta igual a Lenovo fazendo maracutaia com seus clientes

  • Maxgrilo

    Por esses entre ou motivos nunca gostei da HP, já não é a primeira vez que acontece isso, ai se falar no monte de problemas em Notebooks com placa de vídeo dedicada que dava pau logo por motivos de construção, sem falar no verdadeiro roubo em seus cartuchos de tinta para impressoras.

  • Rodrigo Roberti

    Por isso que sempre formato e tiro tudo quanto é porcaria das minhas máquinas…

  • JorgeM.S

    Depois dizem que só os Chineses espionam…
    Keylogger no drive de áudio: Captar o som pelo microfone
    E agora no touchpad: Capturar tudo que você digita

  • dimitrius bueno

    Eu estou no aguardo dos “advogados” da HP, aqueles que vem com um discurso montado do tipo: “não é bem assim, veja…”

    • Cleber

      Pois é rsrsrs

  • dimitrius bueno

    Eu estou no aguardo dos “advogados” da HP, aqueles que vem com um discurso montado do tipo: “não é bem assim, veja…”