A Mozilla anunciou recentemente o Project Quantum, o novo mecanismo de renderização do navegador Firefox que promete oferecer uma experiência mais rápida para usuários em desktops e dispositivos móveis.

Project Quantum

Com o Project Quantum a Mozilla não pretende criar um novo navegador do zero, mas sim desenvolver um novo mecanismo de renderização para o Firefox capaz de lidar com a Web cada vez mais complexa a interativa.

Este novo mecanismo de renderização fará uso extensivo de paralelização e tirará melhor proveito da arquitetura de hardware moderna dos dispositivos disponíveis hoje. Com isso o carregamento de páginas será mais rápido, as animações serão mais suaves e a experiência dos usuários na Web com o Firefox será ainda melhor.

Mozilla anuncia o Project Quantum, novo mecanismo de renderização do Firefox
No ponto de vista técnico, a Mozilla confirmou que o Project Quantum será desenvolvido com o mecanismo de renderização Gecko (atual mecanismo de renderização do Firefox) como base e também terá algumas similaridades com o Servo, um mecanismo de renderização independente mantido pela comunidade.

Além disso, algumas partes do Quantum estão sendo escritas em Rush, uma linguagem de programação que a Mozilla descreve como sendo rápida e simples.

O novo mecanismo de renderização será disponibilizado nos navegadores para Windows, Mac, Linux e Android até o final de 2017. A versão para iOS ainda não tem data.

O site MozillaWiki já tem uma página sobre o Project Quantum, mas ela ainda não traz muitas informações. Confira aqui.

  • Bruno Campos

    O Firefox também consome muita RAM na minha opinião e ja notei que exige mais do processador tbem. É um navegador quase tão rápido quanto o Chrome, mas é pesado.

    • Paulo Oliveira

      50% menos consumo de ram em diferença ao chrome.Pelo menos aqui,no meu note.

  • Celso

    A Mozilla também começou correr atrás depois que a Google anunciou que a versão 55 do Chrome vai ser a mais leve de todas e com a estréia para 6 de dezembro deste ano.

    A atualização programada para dezembro promete tornar o navegador mais leve ao diminuir o consumo de memória RAM.

    O Chrome 55 deve introduzir uma engine JavaScript aprimorada que vai reduzir significativamente os recursos de memória utilizados. Segundo a empresa, testes internos revelaram que há quedas de até 50% na quantidade de RAM necessária para navegar por sites modernos em relação ao resultado apresentado pelo Chrome 53.

  • Desde que não siga pelo caminho da devoração de ram igual o chrome ta de boas :)

    http://www.alltechflix.com/wp-content/uploads/2015/05/why-chrome-eats-too-much-ram.jpg

    • Renan Rossi

      Poxa, aqui o Chrome usa em torno de 2% a 4% de RAM a mais que o Firefox, o que eu acho bem pouco para o quantidade de fluidez que ele proporciona em relação ao Firefox.
      Nunca consegui entender tanta bronca com o Chrome.
      Não sei se é o seu caso, mas a galera ao invés de testar por si mesmo, cai no conto de memes e Benchmarks feitos em PCs da NASA.

      • Luiz Ricardo

        O modo como o Firefox renderiza as páginas, traz impacto maior no uso do processador, basta abrir varias abas e perceber, que apesar do baixo uso de RAM, o navegador se torna muito instável, lento. A próxima versão estável do Chrome, vai diminuir o uso de recursos, principalmente a de memória, devido a otimizações do modo de fragmentação de memória, realizadas ao projeto chromium com a ajuda do agora chinês, Opera.

        • Renan Rossi

          Olha, eu tentei me acostumar com o Firefox, pois acho ele mais “bonito” que o Chrome, ainda mais com temas de terceiros.

          Mas, ao contrário do que vc disse, não precisa abrir várias abas pra ver o famoso “Stuttering” nas animações, odeio isso, acaba com a experiência de navegação, coisa que não acontece com o Chrome, aliás, não acontece com nenhum navegador Chromium.

          • Luiz Ricardo

            Firefox seria perfeito com um motor de renderização melhor, torcendo para que dê certo.

        • Faybert

          No aguardo para essa versão, espero mesmo que pare de consumir tanta RAM. Falando em Opera, usando ele aqui, achei bem mais rápido em abrir páginas do que o Chrome, sem contar a leveza e a VPN. Chinês ou não, não sou alienado com isso, até porque a Microsoft e Google fazem coisa pior, e mesmo as pessoas sabendo disso, só criticam a China. Até o momento o Opera é meu principal aqui, com o Chrome em segundo.

          • Luiz Ricardo

            O Opera é muito superior ao Chrome , em relação a uso de recursos, inclusive na última versão estável lançada, a 41, melhorou significavelmente o gerenciamento de memória para quem utiliza diversas abas, e adicionou o recurso de aceleração via gpu ao recurso “video pop-up” . Quem tem um pc modesto, ou quer fugir de navegadores devoradores de ram, o Opera é uma boa alternativa.

          • Celso

            Quanto as mudanças do Firefox, vão ter que aguardar um bom tempo ainda. Os planos da Mozilla são de entregar o Quantum aos usuários Android, Windows, Mac e Linux até o fim de 2017.

      • Celso

        Mesmo o Chrome utilizando um pouco mais de memória, ele é muito mais leve, roda muito mais suave que esse Firefox..

        • Renan Rossi

          Sim, foi esse mesmo o meu ponto.

  • Mauro

    acho que oque estao falando nesse artigo é a tal funcionalidade multi process na qual ja estou usando na versao alpha https://vgy.me/0u80Hb.png ela faz movimentacao da pagina pra cima e para baixo bem suave sem engasgos em qualquer pagina, diferenca brutal em relacao ao esquema anterior isso em pc com windows na parte de celulares nao sei como ficara isso.

    • Luiz Ricardo

      A notícia fala da construção do motor de renderização, que vai mudar devido ao problema que o Firefox tem no gerenciamento de recursos do processador, no atual, inclusive na versão alpha , quando se abre muitas abas, o navegador perde considerável desempenho, trazendo a experiência de navegação “travada” . Esse novo motor vai se comportar de modo parecido com o Blink do chrome, e deve ser bem trabalhado para não causar engasgos de RAM , por isso ainda tem um bom tempo para seu desenvolvimento. Os multi processos melhoram a confiabilidade da navegação , ao tratar cada aba , e extensão de forma independente, mas não traz a melhora que o Firefox precisa, e deve conseguir quando a versão final desse novo motor de renderização ficar pronto.

      • Mauro

        show Luiz, esperando sair alguma versao de testes pra ver como será isso. abraço