R7
BABOO

CONTATO
ANUNCIE
SUGESTÕES
RSS
COPYRIGHT

Home Hardware

Epson obriga troca de cartuchos

Aparentemente um grave falha no design do Epson Status Monitor (programa que gerencia os cartuchos de tinta de impressoras Epson Stylus) ou no chip dos cartuchos originais da linha Epson Stylus faz com que o usuário seja obrigado a substituir cartuchos de tinta por outros mesmo quando estes ainda contém tinta suficiente para imprimir dezenas ou centenas de páginas.

O problema ocorre quando o usuário é obrigado a executar o procedimento de limpeza do cabeçote: ao fazer isso seguidamente, o Epson Status Monitor vai diminuindo gradativamente a quantidade de tinta mostrada no status dos cartuchos,mesmo quando isso não ocorre,pois o teste imprime apenas algumas linhas retas para que o usuário verifique se elas são impressas corretamente.

100% = 75% ??
Ao realizarmos um teste simples, ficamos atônitos com o resultado: após instalarmos dois cartuchos novos originais Epson da cor ciano e magenta – que custaram R$ 52 cada um – em uma Epson Stylus C82 e realizarmos o procedimento de limpeza de cabeçote por 8 vezes (pois esses cartuchos não imprimiam nada no teste), o Epson Status Monitor mostrava que o cartucho ciano tinha 80% de tinta e o cartucho magenta tinha apenas 75% da sua capacidade, quando na prática ambos estavam cheios pois não foram utilizados !

O pior é que isso também ocorreu com os demais cartuchos (pois as Epson Stylus utilizam quatro cartuchos coloridos: preto, magenta, ciano e amarelo): cada um dos cartuchos teve a sua quantidade diminuída mesmo quando nada tinha sido impresso !

O cartucho preto, que tinha cerca de 20% de tinta no início dos testes (suficiente para imprimir algumas centenas de páginas de texto), era mostrado pelo Epson Status Monitor como estando vazio – mesmo quando isso não era verdade pois o gasto de tinta nos testes é desprezível.

Para agravar ainda mais a situação, a impressora recusou-se a imprimir qualquer página, pois segundo o Epson Status Monitor, o cartucho preto estava totalmente vazio (mesmo tendo 20% de tinta ali dentro) e como não há meios de informar a impressora que o cartucho preto ainda tem bastante tinta dentro dele, a única opção para fazer a impressora imprimir é substituí-lo por outro – que custa cerca de R$ 72 – quando isso é absolutamente desnecessário !


Resultado após realizarmos oito vezes o procedimento de limpeza de cabeçote:
o cartucho de tinta preto está “vazio” e os cartuchos (novos) ciano e magenta estão
com 80% e 75% cheios, quando na verdade ambos estão 100% cheios !

Segundo informações do site da Epson, os cartuchos utilizam um “chip inteligente” que informa se o cartucho foi instalado corretamente, se ele está funcionando corretamente e – pasmem – a quantidade de tinta restante! Aparentemente a inteligência desse chip é bastante limitada por não mostrar o valor correto, ou então ele também é muito esperto, obrigando o usuário a comprar novos cartuchos quando isso não é necessário.

Ação judicial
Em 2003 um grupo de consumidores norte-americanos entrou com uma ação judicial no Estado do Texas (EUA), acusando a Epson de utilizar uma tecnologia para obstruir a tinta dos cartuchos, de maneira prematura. Segundo os usuários, o objetivo seria fazer com que os consumidores passem a comprar novos cartuchos, mesmo havendo uma quantidade considerável de tinta no cartucho (leia mais aqui) – algo que comprovamos isso na prática.

Epson, qual é a solução ?
Fica aqui a nossa indignação para com essa linha de impressoras da Epson. Nós gostaríamos que a Epson nos explicasse qual é a solução para esse problema, pois desta maneira os usuários das suas impressoras não se sintirão enganados como nós estamos nos sentindo agora – afinal compramos cartuchos originais (com selo holográfico contendo os códigos 0403818570 e 0407255761 impressos na embalagem ciano e magenta, respectivamente) justamente para não termos nenhum problema na utilização da impressora.


Cartuchos originais